Casal Gastronomico - Ovo – Faz bem ou faz mal?
Ovo – Faz bem ou faz mal?



Estreando o Pergunte a Nutricionista, o Ricardo Gomide do Rio de Janeiro fez uma pergunta bem direta: Ovo faz bem ou faz mal? Então vamos lá! Clique no leia mais abaixo para ver a resposta :)

Durante décadas o ovo foi considerado vilão devido à quantidade de colesterol existente na gema. No entanto, estudos recentes mostram que isso já foi desmentido e este alimento pode ser consumido diariamente sem afetar a saúde, além disso, ele possui diversas qualidades nutricionais.

O ovo tem proteínas de alto valor nutricional, importantes para integridade óssea, muscular e cartilagens. A clara, com sua importância inegável para a nutrição, contém a albumina, considerada uma das proteínas de maior valor biológico encontrada na natureza. O ovo também tem ferro e zinco, que fortalecem o sistema imunológico e evitam anemia. A ingestão de aminoácidos é importante porque alguns não são produzidos em quantidades suficientes pelo nosso organismo.1

Os ovos também contêm gordura e têm grandes quantidades de colesterol; entretanto, algumas evidências têm mostrado que o consumo de ovos, em uma alimentação com níveis baixos de gorduras totais parece não exercer efeitos negativos nos níveis plasmáticos de colesterol e, conseqüentemente, no aumento do risco de doenças cardiovasculares. Uma explicação para isso seria o fato de que 50% da gordura presente nos ovos é do tipo insaturada. Além disso, é boa fonte de vitaminas do complexo B (colina e biotina). Pelas suas características nutricionais, os ovos também são componentes de uma alimentação saudável, desde que consumidos com moderação, de acordo com a orientação dada para todos os alimentos de origem animal.2

O colesterol é uma gordura que está presente apenas em alimentos de origem animal e também é produzida pelo fígado. É um componente das paredes celulares e precursor de muitos hormônios (estrógeno e testosterona) e de ácidos biliares. O colesterol participa ainda dos processos de absorção das gorduras e da síntese de vitamina D. O organismo é capaz de sintetizar o suficiente para cobrir as necessidades metabólicas; dessa maneira, não há necessidade de consumo externo desse composto, por meio da alimentação. O colesterol sérico pode ser classificado em vários tipos, de acordo com suas funções e propriedades, destacando-se os dois mais importantes, que são o HDL e o LDL-colesterol. O HDL-colesterol, lipoproteína de alta densidade, é responsável pelo transporte do colesterol dos diferentes tecidos do corpo para o fígado, freqüentemente associado a um menor risco de doenças cardíacas. O LDL, colesterol ligado a lipoproteínas de baixa densidade, é responsável pelo transporte do colesterol nos diferentes tecidos orgânicos. O LDL-colesterol atua sobre as paredes internas dos vasos sangüíneos, favorecendo a formação de depósitos de gordura e células nas paredes das artérias, levando ao seu estreitamento, que prejudica o fluxo sangüíneo. Por isso, o LDL é considerado como o colesterol mal e está associado a maior risco de doenças cardíacas. Esses dois tipos de colesterol são encontrados apenas no sangue e não nos alimentos. A alimentação que contém baixos níveis de gordura saturada e colesterol favorece a redução no LDL circulante. Adicionalmente, a atividade física eleva a quantidade de HDL circulante.2

RECOMENDAÇÕES
Apenas depois do primeiro ano os ovos podem ser oferecidos inteiros à criança. Até esta idade, oferecer apenas a gema cozida, pois a clara tem proteínas capazes de disparar reações alérgicas devido à imaturidade do sistema imunológico da criança.

Em crianças com idade até 3 anos, o consumo diário de um ovo atende aproximadamente à metade da necessidade de proteínas. Já em adultos, corresponde a 12,5% das necessidades diárias. O ovo também pode ser uma fonte diária de minerais e vitaminas.1

Embora dietas com baixo teor de gordura e de colesterol sejam amplamente recomendadas para os adultos, o Comitê de Nutrição da Academia Americana de Pediatria e o Comitê de Nutrição da Associação Americana de Cardiologia concordam que não deve haver restrição de gordura e de colesterol durante os dois primeiros anos de vida.3

DICAS
- Se a sua geladeira não tem um compartimento específico para ovos, guarde-os na própria embalagem, na terceira prateleira (intermediária). De preferência embalagem plástica, caso for de papelão remover da embalagem e transferir para um recipiente plástico ou de vidro. Limpe, antes, a parte externa da embalagem com um pano úmido! E evite guardá-los na porta da geladeira, pois o abre e fecha constante facilita a alteração da temperatura, além de promover atrito que pode quebrar a casca.

- Lembre-se de lavar o ovo antes de utilizá-lo para garantir a boa higiene da sua preparação. Assim, ao quebrá-lo, você evita que a clara e gema sejam contaminados pelas sujeiras presentes na casca.
- Os ovos devem ser cozidos até a clara e gema estarem firmes.

- Evite comer o ovo cru, como em maioneses caseiras, ou mal passado, com a gema mais mole, quando não conhecer a procedência e a maneira de conservação desses ovos. Assim você previne intoxicação por salmonela.

- Logo depois de comprar os ovos, é importante acondicioná-los em temperatura adequada, mas não é preciso lavá-los. Quando você lava o ovo acaba tirando uma película protetora e aumenta a possibilidade de contaminação por microrganismos que podem migrar da casca para seu interior.

- Quando novos, têm a casca pouco porosa, bem limpa e sem rachaduras. Para saber se o ovo está velho, é só colocá-lo numa vasilha com água e sal. Se ele flutuar, é porque está velho. Não use o ovo também se a clara ou gema grudarem na casca, se tiver cheiro diferente, podridão ou sabor anormal.4

- Não compre ovos trincados ou sujos.

- Compre uma quantidade de ovos prevista para consumir em uma semana.

- Guarde os ovos em embalagem apropriada e na geladeira, em uma temperatura entre 2 °C e 5 °C.

- Aproveite até a casca: rica em cálcio, ela é um ótimo adubo. Basta lavá-la, secá-la no forno por alguns minutos e em seguida batê-la no liquidificador. Além de afiar as lâminas do utensílio, é um ótimo fortificante para suas plantas.

CURIOSIDADES
Segundo o Ministério da Agricultura segue a definição dos 3 tipos de ovos disponíveis no mercado:
Ovos de granja: Alimentadas à base de ração, as galinhas de granja, em sua maioria, recebem ração com aditivos para garantirem a produtividade máxima dos ovos. Os animais são confinados em gaiolas pequenas e têm seus bicos cortados (debicagem).

Ovos caipira: Estes ovos devem ser produzidos por galinhas criadas fora das gaiolas, com ninhos em locais cobertos para a produção dos ovos. A alimentação é feita de ingredientes de origem vegetal, sendo proibido o uso de remédios para o crescimento, antibióticos e pigmentos na ração.

Ovos orgânicos: Este tipo de ovo é gerado por galinhas criadas com alimentação orgânica (sem o uso de agrotóxicos e fertilizantes químicos) e respeito ao comportamento natural e bem-estar da ave (são proibidos procedimentos como a debicagem e o confinamento em gaiolas). Também é vedado o uso de promotores de crescimento e antibióticos na ração. Para aprovação do selo orgânico, o produtor deve apresentar certificado emitido por uma entidade certificadora terceirizada que segue parâmetros ditados pelo Ministério da Agricultura.

Bibiografia
1. EMBRAPA – Mitos e verdades sobre ovos. Disponível [online]. URL: http://www.cnpsa.embrapa.br/cias/index.php?option=com_content&view=article&id=16&Itemid=30 [05/10/12]
2. Ministério da Saúde. Guia Alimentar para a População Brasileira – Promovendo a Alimentação Saudável. Distrito Federal – DF. 2006.
3. Sociedade Brasileira de Pediatria. Manual de Orientação – Departamento de Nutrologia. Disponível [online]. URL: http://www.sbp.com.br/img/manuais/manual_alim_dc_nutrologia.pdf Rio de Janeiro. 2006. [09/10/12]
4. EMBRAPA – Cuidados com os Alimentos. Disponível [online]. URL: http://www.turminha.mpf.gov.br/para-o-professor/para-o-professor/publicacoes/Cuidados-com-os-alimentos.pdf [26/10/12]
5 EMBRAPA - Ovo: Alimento saudável e nutritivo. Disponível [online]. URL: http://ccw.sct.embrapa.br/?pg=bloguinho_default&codigo=95 [26/10/12]

Cristiane Yoshimine Ino Suaide é Nutricionista formada pela USP.



Degustadoo às 21:19:57 de 31/10/2012 por Cristiane Yoshimine Ino Suaide - views: 15.803 | clicks: 10.135 Compartilhe no Twitter  Compartilhe no Facebook  Compartilhe no Orkut  Compartilhe no Google  Compartilhe no Google Buzz  Compartilhe no Delicious  Compartilhe no Windows Live  Compartilhe no MySpace  Compartilhe no Digg


© Copyright 2011 Casal Gastronômico. Todos os Direitos Reservados.